O Blog para quem gosta de curiosidades históricas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 de nov de 2014

Estado de Israel: fatos e curiosidades


Bandeira de Israel 

O moderno Estado de Israel declarou sua independência em 14 de maio de 1948.

Embora a maior parte da população de Israel seja judia, não podemos afirmar que todo israelense é judeu. Existem israelenses muçulmanos, cristãos e drusos, por exemplo. A maior minoria étnica é formada pelos chamados árabes israelenses.

O sistema de governo israelense é democrático com sufrágio universal e parlamentarista.

As línguas mais faladas em Israel são o hebraico e o árabe.



O centro financeiro e cultural de Israel é a cidade de Tel Aviv. Possui cerca de 400.000 habitantes, mas faz parte de uma região metropolitana com mais de 3 milhões de pessoas. Tel Aviv também é conhecida pela sua intensa vida noturna e por suas praias.

Os arqueólogos acreditam que a cidade de Jerusalém foi fundada por povos semitas por volta do ano 2.600 a.C.. Na tradição judaica, ela foi fundada por Sem e Éber, filho e neto de Noé.

Enquanto os judeus se referem a Jerusalém como “Cidade da Paz”, os árabes muçulmanos a tomam como “A Santa”.

Jerusalém é sagrada para judeus, cristãos e islâmicos. Depois de Meca e Medina, ela é a terceira cidade mais importante do islamismo. Os seguidores do Alcorão acreditam que o profeta Maomé ascendeu aos céus em Jerusalém.

Embora não seja reconhecida em todo o mundo como Capital, Jerusalém é considerada pelos judeus a Capital do Estado de Israel.

Ao longo da história, a cidade de Jerusalém foi destruída duas vezes, sitiada 23 vezes, atacada 52 vezes, e capturada e recapturada 44 vezes.

Situada a cerca de 27 Km de Jerusalém, a cidade de Jericó é tida pela arqueologia como a cidade mais antiga do mundo. Presume-se que Jericó tenha sido fundada no ano 9.000 a. C. (isso mesmo, 10.500 anos antes da descoberta do Brasil).

A primeira referência histórica a palavra Israel é, provavelmente, do 1.210 a. C, em uma inscrição em que o faraó egípcio Mernetapt comemora uma vitória contra as chamadas tribos de Canaã, entre elas Israel.




Mapa de Israel
Mapa de Israel 


O cisma das tribos de Canaã ocorre em 920 a. C., quando são fundados os reinos de Judá e Israel. Israel é dominada pelos assírios e Judá, pelos babilônios. É o rei persa Ciro quem liberta os judeus do antigo cativeiro da Babilônia.

Dois séculos depois do cativeiro da Babilônia, os judeus são conquistados pelos macedônios. Pouco tempo depois, seria a vez dos romanos dominarem toda a região.

Ocorreram diversas revoltas judaicas contra a dominação romana. A maior delas ocorre no ano 70 a. C., quando os judeus são derrotados pelos romanos. A última, porém, aconteceu no ano 134 d.C., quando os romanos proíbem o judaísmo e renomeiam a região como Síria Palestina.

Com a queda de Roma, Jerusalém e a atual região da Palestina é administrada pelos bizantinos e, em seguida, pelos árabes muçulmanos. O califa Omar conquista pacificamente a cidade e permite que os judeus continuem a praticar a sua religião.

Os cruzados cristãos conquistam Jerusalém em 1.099 d.C, porém, após um breve período de dominação, são derrotados pelo sultão curdo Saladino.

Os muçulmanos dominaram a região até o século XX, quando foi criado o Estado de Israel. Para os judeus, foi um feito histórico. Para os árabes palestinos foi uma catástrofe. Até hoje, os palestinos se referem ao ano da criação de Israel como o ano da “desgraça” (el-nakba).

Todos sabem que os primeiros sionistas liderados por Theodor Herzl desejavam fundar um Estado judeu. O que pouca gente sabe é que eles não pensaram apenas na região da Palestina. Eles pensaram em criar o Estado em territórios hoje pertencentes ao Chipre, Quênia e até Argentina.




Praia de Tel Aviv
Tel Aviv


20 comentários:

  1. Nossa adorei o blog bem diferente dos que eu sigo muita cultura..
    www.fernandacaterina.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. O enriquecimento histórico foi feito por nós, já que as leituras da Historia Geral nos fascina.
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Mauro Luiz, seu blog só não é o melhor da net na parte de curiosidades da história, porque a fonte que você usa nos textos é muito cansativa! Não deixa a leitura aprazível, ainda que o teor das postagens seja muito interessante. Se puder considerar esse aspecto, fica a dica!

    ResponderExcluir
  4. Gosto muito do seu blog! Aprendo sempre algo de novo e este post sobre Israel, bem deixa ainda menos dúvidas sobre o que está a acontecer agora, não é?

    Seguindo*

    ResponderExcluir
  5. Olá Mauro Luiz, tenho que te parabenizar pelo seu blog, as matérias são de muito conhecimento, relembrando fatos marcantes da história antiga e moderna.
    Já sou seu seguidor no blog e face, e voltarei muitas vezes para absorver um pouquinho do seu conhecimento!
    Um abração!
    http://soformulasquimicas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá :) Primeiramente eu te agradeço pela visitinha no meu blog. :D Obrigada! ;D
    Sinta-se a vontade para visitar novamente o meu blog quando quiser e puder. ;)
    Gostei do seu blog, é ótimo! :D Adorei a postagem, muito interessante! :)
    Estou seguindo o seu blog no GFC e google+, curti a sua página. *-* Abraço!
    http://my-stories-wonderful-books.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Mauro, retribuindo a sua visita e seguindo o seu Blog, que aliás é de grande valor o seu conteúdo.
    Sucesso sempre.

    ResponderExcluir
  8. Olá fiz um trabalho recentemente sobre os conflitos entre Israel e Palestina. Nestes conflitos na minha opinião quem são os errados são os palestinos pelo fato de não terem terras. Mas vamos continuar acompanhando essas guerras que não sabemos onde vai parar.

    ResponderExcluir
  9. Quero contribuir com o belo trabalho que o Mauro fez. Como sugestão quero indicar aos interessados a leitura do livro em dois volumes com o título de Exodus, escrito por Leon Uris. O processo do surgimento do moderno estado de Israel, foi bastante lento. No começo pequenos grupos de descendentes de judeus, provenientes dos países eslavos, fugindo dos sangrentos "pogroms" promovidos contra os guetos judeus por motivos diversos, chegaram ali e se fixaram. Para isso enfrentavam travessias por montanhas geladas, perigos sem conta nas estradas e trilhas. Enfrentavam muitas dificuldades, até que um grupo de judeus americanos ricos, realizou campanhas para angariar fundos e os fez chegar às mãos desses colonos. Assim puderam adquirir áreas de terras, geralmente as piores, áreas alagadas que foram drenadas, irrigação foi feita nos lugares sem água e aos poucos adquiriram importância econômica para a região. Os árabes, pouco afeitos ao trabalho da terra, viram ali oportunidades de impor tributos, taxações e mesmo confiscos. Isso gerou uma organização paramilitar para autodefesa. Ali surgiram o que depois ficou conhecido como os Kibutz, as milícias organizadas, foram o embrião das forças armadas de Israel.
    Em 1948 a recem criada ONU, numa de suas primeiras deliberações, aprovou a criação do estado de Israel. Lembro disso com facilidade, pois é o mesmo ano de meu nascimento.
    As fronteiras de Israel e seus vizinhos foram sendo fixadas em sucessivas guerras que nunca deixaram de existir. Na ocasião da Guerra dos Seis Dias eu estava prestando o serviço militar. Nessa época as forças armadas dos árabes eram fracamente equipadas, mal treinadas. Só mais recentemente eles começaram a adquirir armas e treinar seus exércitos.
    Nessa região existe muita história para ser contada, pesquisada e refeita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bela aula de história.
      Grato por participar do Blog.

      Excluir

Olá! Muito obrigado por ler meu Blog. Seja muito bem-vindo!

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial